O que é uma maneira sustentável de manter as luzes acesas? Não é o gás de xisto

This post is also available in: English

Um novo estudo do Reino Unido descobriu que o gás de xisto é uma das formas menos sustentáveis de produzir eletricidade. Com base em sua sustentabilidade ambiental, econômica e social, pesquisadores da Universidade de Manchester classificaram o gás de xisto em sétimo lugar entre nove fontes de energia diferentes. O carvão foi a pior opção. Energias eólica e solar foram classificadas como as melhores.

Estudos anteriores analisaram o impacto ambiental do gás de xisto. Mas este novo estudo, publicado pela Science of the Total Environment, é o primeiro a dar igual importância aos efeitos sociais e econômicos.

Fracking envolve a injeção de água pressurizada, areia e produtos químicos dentro de formações rochosas para quebrá-las e extrair gás natural. Isto requer enormes quantidades de água, podem poluir o ar e a água e causar terremotos.

Os Estados Unidos são o único país que usa o processo em larga escala.  Mas agora outros países estão considerando a opção. As empresas britânicas de gás de xisto planejam lançar projetos este ano, apesar da forte oposição do público; A Escócia proibiu o fracking.

Além do gás de xisto, os pesquisadores de Manchester analisaram a biomassa, o carvão, o gás natural convencional, o gás natural liquefeito, hidro, nuclear, energia solar fotovoltaica, energia eólica. Eles analisaram 18 indicadores de sustentabilidade: 11 ambientais, 3 econômicos, e 4 sociais. Estes indicadores incluem toxidade humana, impacto no aquecimento global, enfraquecimento da camada de ozônio, acidificação, custo de combustível e de capital, emprego, acidentes de trabalho e apoio público.

Eles concluem que, para se tornar tão sustentável quanto as energias eólica e solar, a indústria de gás de xisto necessitaria ter cerca de 330 vezes menos impacto ambiental e 16 vezes mais empregos. Além disso, em um cenário de 2030 para o Reino Unido, uma mistura de eletricidade com 1% de gás de xisto seria mais sustentável do que com 8%.

“Esses resultados servem para informar aos formuladores de políticas do Reino Unido, indústrias e organizações não governamentais”, escrevem os pesquisadores. “Estes também serão de interesse para outros países que consideram a exploração do gás de xisto”.

Fonte: Jasmin Cooper, Laurence Stamford, Adisa Azapagic. Sustainability of UK shale gas in comparison with other electricity options: Current situation and future scenarios.  Science of the Total Environment. 2018.

 

Independent, nonprofit journalism
for a livable planet  |  published by Future Earth

Share This

Share This

Share this post with your friends!